domingo, 15 de abril de 2012

Sobre Drogas

No Brasil, o mercado da droga está plenamente operante, ainda que as autoridades
consigam apreender parte da carga circulante, conforme se deduz das estatísticas oficiais. Nos grandes centros urbanos, o negócio mais lucrativo é a distribuição das drogas aos consumidores, atividade que absorve grande parte dos excluídos do sistema econômico, ou seja, de trabalhadores informais à margem da atividade lícita.
Conforme afirma Michel Misse, “o tráfi co de drogas nas áreas pobres do Rio de
Janeiro é fundamentalmente varejista”, sendo a cocaína a substância mais lucrativa.Na atividade altamente rentável do tráfico no atacado, empresários do crime comandam o investimento, a produção, a comercialização e a lavagem de dinheiro, mas estes não estão no morro.
Devido às nossas tradições inquisitoriais, a criminalização de certas substâncias,
como a maconha e a cocaína, conferiu à polícia um enorme poder. São os policiais que decidem quem irá ou não irá ser processado por mero uso ou por tráfico, porque são eles que apresentam as provas e iniciam o processo.
O resultado dessa equação é que o Poder Judiciário, além de aplicar uma Lei extremamente punitiva e desproporcional, tem a sua atuação limitada pela corrupção, que filtra os casos que chegam ao seu conhecimento, sendo este um ciclo vicioso que muito tem contribuído para a superlotação das prisões com pequenos traficantes pobres, e para a absoluta impunidade dos grandes
Precisamos urgente "reforçar a ideia de liberdade e tolerância, além da razoabilidade e proporcionalidade violadas pelo modelo proibicionista, que precisa ser superado, por absoluta desumanidade, ineficiência na proteção da saúde
individual e coletiva e inequidade, além de sua absoluta irracionalidade
Veja o texto completo no link abaixo:

domingo, 1 de abril de 2012

Oração do Corno

Pai nosso de cada dia,
Daí ao Corno de hoje muita inteligência
Que não venha cometer nem uma negligencia
Prá não cair nas mãos da justiça da gente
Se pela mulher amada
Vir a levar algumas chifradas
Destruindo assim sua família
Que construíu com muita paciência
Os defendeis das más línguas
Guiai vos por caminhos da sustentação
Não deixe que ela venha a cai em tentação
E saia com o tal do Ricardão
Que tem boa vida
E vive sempre a elas dando atenção
Livrai dos bicos doces
Que de olho em nossa esposa
Passe nela uma boa conversa
E agente fica com cara de trouxa
Levando a para o caminho das camas redondas e fofas
E nos coroando com algo que tem duas pontas
livrai dos comedores
Que nos afrontam
Aqui na terra ou em qualquer canto
Não deixe que ela esqueça da gostosa lua de mel
Que tivemos ao tirar os véus
A cabeça do Corno não é nenhum arranha céu
Pronta para receber uma antena cruel
Senhor eu te peço me de muita seriedade
Pra que não venha perder a tranqüilidade
E cometer uma grande besteira
Fazendo padecer esse tal de Ricardão na minha peixeira
Só o senhor pode livrar nos das fortes emoções
No começo de uma traição
Não deixando que entre em escorneação
Ontem, hoje e sempre
Senhor eu te peço, perdoe esse coitado
Pois ele não sabe o que faz
E nem aonde está colocando o seu cajado
Assim como eu devo perdoar
Os erros dessa mulher safada
Que enfeitou minha cabeça e a deixou marcada
E hoje sou motivo de muitas risadas
Senhor livrai das gozações
E que não venha a encontrar com o tal garotão
Pois não sei se vai agüentar
Esse velho e sofrido coração
Senhor daí nos o seu perdão
Amem....
De Clóvis Rogel