domingo, 15 de abril de 2012

Sobre Drogas

No Brasil, o mercado da droga está plenamente operante, ainda que as autoridades
consigam apreender parte da carga circulante, conforme se deduz das estatísticas oficiais. Nos grandes centros urbanos, o negócio mais lucrativo é a distribuição das drogas aos consumidores, atividade que absorve grande parte dos excluídos do sistema econômico, ou seja, de trabalhadores informais à margem da atividade lícita.
Conforme afirma Michel Misse, “o tráfi co de drogas nas áreas pobres do Rio de
Janeiro é fundamentalmente varejista”, sendo a cocaína a substância mais lucrativa.Na atividade altamente rentável do tráfico no atacado, empresários do crime comandam o investimento, a produção, a comercialização e a lavagem de dinheiro, mas estes não estão no morro.
Devido às nossas tradições inquisitoriais, a criminalização de certas substâncias,
como a maconha e a cocaína, conferiu à polícia um enorme poder. São os policiais que decidem quem irá ou não irá ser processado por mero uso ou por tráfico, porque são eles que apresentam as provas e iniciam o processo.
O resultado dessa equação é que o Poder Judiciário, além de aplicar uma Lei extremamente punitiva e desproporcional, tem a sua atuação limitada pela corrupção, que filtra os casos que chegam ao seu conhecimento, sendo este um ciclo vicioso que muito tem contribuído para a superlotação das prisões com pequenos traficantes pobres, e para a absoluta impunidade dos grandes
Precisamos urgente "reforçar a ideia de liberdade e tolerância, além da razoabilidade e proporcionalidade violadas pelo modelo proibicionista, que precisa ser superado, por absoluta desumanidade, ineficiência na proteção da saúde
individual e coletiva e inequidade, além de sua absoluta irracionalidade
Veja o texto completo no link abaixo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário